sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Último fórum trata de arquitetura e sustentabilidade


O último fórum do 24º Congresso Panamericano de Arquitetos, que é realizado em Maceió, tratou da relação entre arquitetura e sustentabilidade, analisando o exemplo do Cristalino Jungle Lodge, um hotel com apenas 16 unidades e uma reserva ecológica de 12 mil hectares de floresta primária, na Amazônia Meridional.
Toda a estrutura do empreendimento contempla a sustentabilidade. Os chuveiros, por exemplo, são aquecidos por painéis solares e possuem sistema de tratamento biológico dos resíduos. Os quartos possuem sistema natural de ventilação.
De acordo com a proprietária do empreendimento, a administradora e ambientalista Vitória Riva, ele é dedicado ao ecoturismo sustentável, o hotel recebe entre 1,2 mil e 1,3 mil turistas ao ano, quantidade de pessoas, que de acordo com os estudos, não prejudica o meio ambiente daquela região. Dentro da reserva há 30 km de trilhas, que são utilizadas num sistema de revezamento para não sobrecarregar alguma delas e causar prejuízos à fauna ou flora.
“Para desenvolver um projeto sustentável de hotel o empreendedor tem que ser sensível no sentido de amar a natureza, não pensar que o lucro do negócio tem que ser o mais importante. Se o empreendedor não amar o meio ambiente não vai colocar o coração dele nestas coisas. O projeto tem que ser precedido de princípios ecológicos.  Nosso hotel prima pelo atendimento personalizado e pelo convívio em harmonia com o meio ambiente”, garante.
“A tarefa dos jovens arquitetos está intimamente ligada à sustentabilidade e o respeito ao meio ambiente. Os projetos precisam ser sustentáveis, com defesa do meio ambiente, geração de renda e criando empregos”, completa.
A arquiteta Ester Ramires acredita que hoje um grande número de turistas busca hotéis sustentáveis. “Existem várias publicações que mostram projetos sustentáveis nas áreas de praia e montanha que são vendidos turisticamente. Sustentabilidade tem que ser abraçada pelos arquitetos. É possível, é necessário e temos clientes para isso”, avalia.
O engenheiro civil Marcos Holanda, diretor da construtora Enengi, ressalta que investir em sustentabilidade é buscar qualidade de vida e garantir um mundo melhor para as futuras gerações. “Em Alagoas temos muitos projetos de empreendimentos turísticos em áreas de praia que perderam as características do local. Em contrapartida, em São Miguel dos Milagres e adjacências há vários projetos  sustentáveis de pousadas de baixo impacto, com uso de mão-de-obra e materiais locais, com decoração da região, preservando a biodiversidade”, compara.
A arquiteta Vânia Avelar, do IPHAN de Pernambuco, diretora do IAB/PE e coordenadora da Bienal Panamericana de Arquitetura de Quito, parabenizou a organização do Congresso por trazer para a discussão a sustentabilidade.
“Essa temática é muito importante para nós e estou muito feliz pelo Congresso Panamericano de Arquitetos ter trazido a sustentabilidade como um dos temas. O futuro é este e não é admissível que façamos projetos sem pensar a sustentabilidade”, analisa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário